Cortar o bigode do gato pode deixa-lo sem equilíbrio?

Cortar o bigode do gato pode deixa-lo sem equilíbrio? VERDADE!

VERDADE: Mantenha distância dos bigodes do seu gato, não corte, não apare, não interfira no comprimento. As vibrissas, nome técnico dado ao conjunto de 12 fios que eles têm em cada lado, conferem equilíbrio, movimentação, orientação e até bem-estar e autoestima ao seu pet. “Isso porque o bigode funciona como uma espécie de radar, dando noção de dimensão e distância. Quando cortado, o felino se sente frustrado por não conseguir, por exemplo, saltar de determinada altura sem se machucar, daí a alteração na autoestima”, afirma Luciana Deschamps, veterinária especialista em gatos, da clínica Sr. Gato. Assim como o olfato, a visão, o tato e o paladar, o bigode faz parte do sistema sensorial do animal. É mais um item que o ajuda a se locomover com segurança, inclusive no escuro. Quando os fios encostam em algo, o bicho já sabe que deve desviar. Por isso, quanto mais longos forem, melhor funcionam. Pode acontecer, entretanto, de os bigodes do gato caírem naturalmente, o que indica fungos ou carência de vitaminas. Nesse caso, a dica é levar seu mascote o quanto antes ao veterinário.

O Bigode tem uma função emocional

Os bigodes dos gatos também estão ligados ao lado emocionais. Quando se sentem ameaçados, todos os fios são movimentados para trás e ficam colados no rosto do felino. Essa é a forma de anunciar que estão prontos para se defender do perigo. “Sem os bigodes, o gato se sente indefeso, pois não demonstra ao inimigo essa função. Além disso, sabe que não conseguirá fugir e saltar com exatidão”.

Posted by
adgpiracicaba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *